top of page
Search

O que é o Protocolo Autoimune AIP?

Existem muitas dúvidas sobre o que é o Protocolo Autoimune AIP, como funciona, quais as restrições e se é uma dieta para todas as pessoas com todas as doenças autoimunes.


Sou nutricionista certificada pelo AIP - Autoimmune Paleo Protocol há alguns anos, e venho atuando com nutrição autoimune e bioindividual com atendimentos presenciais locais onde moro, e on-line para diversos lugares do mundo. Minha paixão é ajudar as pessoas a conhecerem melhor a sua bioquímica individual e os alimentos que são melhores ou aqueles que devem ter o seu consumo reduzido, e porquê. Você pode saber mais sobre mim aqui e saber como é o meu trabalho aqui. E aqui você pode saber mais sobre a Nutrição Bioindividual.


Bem, vamos falar do Protocolo Autoimune AIP!


A idéia de que uma estratégia dietética poderia ser aplicada para ajudar a controlar doenças autoimunes foi proposta pela primeira vez pelo Dr. Loren Cordain, o fundador do movimento Paleo. Outros membros da comunidade médica, como Robb Wolf, Chris Kresser e Dr. Datis Kharrazian, desenvolveram seus métodos aplicando estes conceitos Paleo.

Em 2012, a Dra. Sarah Ballantyne, motivada por sua experiência pessoal com doenças autoimunes e experiência com o conceito de uma estratégia dietética paleo aplicada a doenças autoimunes, pesquisou, refinoju e escreveu extensivamente sobre o protocolo. O Protocolo Autoimune AIP é resultado do seu trabalho.


O que é o Protocolo Autoimune AIP?


O Protocolo Autoimune AIP é um protocolo de dieta e estilo de vida que inclui a eliminação e reintrodução de certos alimentos. É um método baseado em pesquisas e evidências científicas e tem como principais objetivos:

  • Reparar a saúde intestinal

  • Equilibrar os hormônios e

  • Regular o Sistema Imunológico

O Protocolo Autoimune AIP pode ser implementado e utilizado como rotina alimentar, ou em combinação tratamentos médicos convencionais.


Como funciona o Protocolo Autoimune AIP?


O Protocolo Autoimune AIP é implementado em três etapas. Cada uma destas etapas pode ser personalizada para cada indivíduo, uma vez que somos todos bioindividuais e temos necessidades nutricionais diferentes, por mais que tenhamos os mesmos diagnósticos.

Veja abaixo um resumo das fases e etapas:


  • Etapa 1 - Eliminação

Esta primeira etapa é a fase de transição para o Protocolo Autoimune AIP. Aqui o foco é eliminar temporariamente certos alimentos que contém componentes inflamatórios e problemáticos, ao mesmo tempo que se introduz alimentos nutricionalmente densos.

  • Etapa 2 - Manutenção (da fase de eliminação)

Após feita a eliminação dos alimentos, entramos na etapa de manutenção da eliminação. O foco é continuar com a rotina alimentar sem os alimentos inflamatórios enquanto consumindo alimentos densos em nutrientes, com o objetivo de maximizar os benefícios desta fase. É nesta fase em que se nota uma grande melhora ou redução dos sintomas e o corpo começa a funcionar de uma forma diferente.

A manutenção precisa ser de 30 dias no mínimo para todos, pois isso possibilita que os alimentos possam ser reintroduzidos com sucesso. Na fase de reintrodução, é importante notar os efeitos, reações e possíveis sintomas provocados por cada alimento reintroduzido.

É possível ficar entre 60-90 dias nesta etapa, mas a reintrodução de alimentos é altamente encorajada, pois uma rotina alimentar ideal é aquela que é robusta e variada em nutrientes.

Se em 90 dias o progresso não for o esperado, deve-se investigar os possíveis obstáculos que não podem ser resolvidos apenas com mudanças na rotina alimentar e estão impedindo o progresso. Condições médicas comuns podem incluir SIBO, IMO, H. Pylori e outras condições.


Nesta etapa de manutenção ocorre a maior parte do conhecimento e aprendizado sobre sua nova maneira de viver e se alimentar, e contribui para a construção de um estilo de vida sustentável e positivo.


  • Etapa 3 - Reintrodução

Esta etapa é alcançada quando houve melhorias mensuráveis ​​nos sintomas (a partir de uma linha de base), registros no diário e/ou testes de laboratório. Se há alívio ou redução dos sintomas, os alimentos temporariamente removidos podem ser reintroduzidos.

O produto final desta última etapa deverá ser uma rotina alimentar individualizada, em que seja possível o consumo de todos os alimentos reintroduzidos, nas quantidades toleradas para que seja rica em nutrientes. Deverá ser uma rotina alimentar baseada nas suas tolerâncias pessoais, e portanto menos restritiva, provendo a maior quantidade e qualidade de nutrientes ao corpo, sem que ele sofra consequências.


Algumas considerações importantes sobre o Protocolo Autoimune AIP


  • O Protocolo Autoimune pode e deve ser combinado com o tratamento médico convencional

  • Não fique na etapa de eliminação por tempo indeterminado. Avance nas etapas e tente reintroduzir os alimentos quando puder. Uma rotina alimentar que é pobre em variedade de alimentos é uma rotina pobre em nutrientes também, e você pode ter deficiências nutricionais. Se você tiver problemas nas etapas e se sentir perdido (a), procure a ajuda de um profissional habilitado e certificado no AIP para te ajudar

  • Você pode definir os seus próprios limites, e você está no controle da sua saúde sempre

  • Não existe nada perfeito e portanto não tente atingir a perfeição – faça o que dá para ser feito!

  • Não se compare com os outros: todos somos bioindividuais e temos o nosso próprio ritmo

  • Encontre um grupo de suporte/apoio e conte com a ajuda das demais pessoas

  • Busque suporte profissional que poderá guiá-lo e apoiá-lo na sua jornada

  • Um passo de cada vez, uma refeição de cada vez.

  • O Protocolo Autoimune foi estudado clinicamente em 2016 (1), em que foi observado um grupo de participantes com doenças inflamatórias autoimunes graves e duradouras. 73% dos participantes atingiram e mantiveram a remissão clínica na sexta semana do estudo. Alguns desses participantes conseguiram interromper a medicação e ainda assim alcançaram a remissão.

  • Um outro estudo (2) mostra a eficácia do Protocolo Autoimune AIP em pacientes com Hipotireoidismo Hashimoto, sendo uma excelente forma de gerenciar os sintomas desta doença.



Você está no comando da sua saúde e do seu bem-estar!



>> Para ver a lista de Alimentos da Etapa de Eliminação clique aqui

>> Veja aqui como reintroduzir os alimentos temporariamente removidos

Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato comigo aqui



Recent Posts

See All

Microbioma Intestinal e Doenças Autoimunes

A nossa saúde intestinal dita a nossa saúde do nosso corpo como um todo e da nossa mente - e tudo começa lá: no nosso trato digestivo. O trato digestivo vai desde a boca até o ânus, e o "intestino" en

Comments


bottom of page