top of page
Search

Reintrodução de Alimentos Removidos no Protocolo Autoimune AIP

Esta é talvez a parte mais importante do Protocolo Autoimune AIP, mas na minha opinião, de todas as dietas especiais que visam ajudar e restaurar o corpo. Isso porque em todas elas, a parte comum é a remoção temporária de alimentos que são inflamatórios e podem ser problemáticos para as pessoas, dependendo da sua bioquímica individual.


Após a identificação de sintomas e entendimento da bioquímica individual e das particularidades de cada pessoa, são propostas diretrizes nutricionais que ajudam no alcance dos objetivos de saúde.

Estas diretrizes nutricionais ou plano de intervenção nutricional muitas vezes compreendem uma abordagem integrativa, e também pode combinar uma ou mais dietas especiais, entre elas o Protocolo Autoimune AIP.

Eu gosto sempre de olhar cada pessoa sob as lentes da Nutrição Bioindividual, porque me permite entender melhor quais as necessidades específicas individuais. Esta visão me permite também propor um plano realmente personalizado, que consequentemente atenderá melhor às necessidades específicas de cada pessoa.


Uma vez colocado em prática o plano bioindividual, alguns alimentos com potencial mais inflamatório devem ser removidos ou evitados temporariamente.

Lembro que é importante não permanecer neste estágio por muito tempo, pois a falta de alimentos pode levar a deficiências nutricionais, e daí, a outros problemas.

É sempre importante reintroduzir os alimentos quando for possível.


No Protocolo Autoimune AIP, mais especificamente, esta Reintrodução acontece em 4 fases, em que cada fase permite a reintrodução de um grupo específico de alimentos. Esta reintrodução também pode ser personalizada, dependendo das necessidades de cada pessoa.



Fase 1

  • Gemas de ovo

  • Legumes (incluindo apenas os feijões com vagens comestíveis)

  • Brotos de leguminosas

  • Nozes e sementes (apenas os óleos no início)

  • Especiarias à base de sementes

  • Ghee

  • Café (ocasionalmente)

  • Cacau / chocolate


Estágio 2

  • Nozes e sementes (inteiras, farinhas e manteigas, incluindo castanha de caju, pistache e sementes de chia)

  • Álcool (em pequenas quantidades, pense em 5 onças de vinho)

  • Claras de ovo

  • Manteiga

  • Café (diariamente)

Fase 3

  • Vegetais da família solanácea (apenas berinjela, páprica, pimentão, batata branca descascada)

  • Lentilhas, ervilhas partidas, grão-de-bico

  • Laticínios de boa qualidade, orgânicos, sem adição de preservantes ou aditivos


Fase 4

  • Vegetais da família solanácea (todos restantes, incluindo batata branca com casca)

  • Álcool (em grandes quantidades, uma taça ou quantidade entre 60-150ml)

  • arroz branco

  • Outros grãos sem glúten

  • Outras leguminosas


Método para Reintrodução:


  1. Selecione um alimento para reintrodução

  2. Comece com meia colher de chá ou menos e espere 15 minutos. Se houver reações, pare.

  3. Se não houver reações, coma uma colher de chá inteira e espere mais 15 minutos. Se houver reações, pare.

  4. Se não houver reações, coma uma colher e meia de chá e espere 2 ou 3 horas. Se houver reações, não prossiga.

  5. Se não houver reações, coma uma porção normal da comida e espere de 3 a 7 dias. Não reintroduza nenhum outro alimento e monitore as reações durante esse período.

  6. Se não houver reações, esse alimento pode voltar à sua rotina alimentar

  7. Comece uma nova reintrodução, com outro alimento.


Importante:


  • Anote sempre. Faça um diário e anote quantidade, alimento, e se houve reações. Quanto mais informações você tiver, melhor será este processo

  • Preste atenção à forma do alimento testado, se está cozido, cru, frito - a forma como você consome pode interferir na tolerância

  • Tolerância pessoal: alguns os alimentos podem ser bem tolerados quando consumidos ocasionalmente, e outros sim, mas não todos os dias, e isso é importante saber – pois permite que você tenha uma dieta ampla e variada, sem ser restritiva.

  • Se você tiver reações ou sintomas não se desespere. Isso significa que pode não ser o momento certo ainda, e precisa-se trabalhar mais na restauração da sua saúde intestinal ou digestão. Pode-se sempre tentar a reintrodução mais tarde ou depois de algum tempo. Às vezes a tolerância melhora de acordo com o estado do corpo. Isto é um trabalho contínuo e constante, mas que gera resultados.


Dúvidas? Entre em contato comigo!

Até a próxima!





Recent Posts

See All

Microbioma Intestinal e Doenças Autoimunes

A nossa saúde intestinal dita a nossa saúde do nosso corpo como um todo e da nossa mente - e tudo começa lá: no nosso trato digestivo. O trato digestivo vai desde a boca até o ânus, e o "intestino" en

댓글


bottom of page